segunda-feira, 30 de setembro de 2019

GUIA COMPLETO - SINGAPURA, pt. 1 (CM no QueroViajarMais.com!)


Caros viajantes!

2 anos depois da parceria que gerou um GUIA COMPLETO sobre outro destino fantástico da Ásia (Myanmar), o QueroViajarMais.com - um dos maiores sites de viagens do Brasil - acaba de publicar o 1º de uma série de 2 artigos escritos pelo Cidadania Mundial sobre um dos países mais singulares do mundo: Singapura! 😀

Apesar de seu tamanho quase minúsculo, essa é uma nação com números impressionantes, que vão desde a sua incrível diversidade cultural até seus níveis de desenvolvimento altíssimos: qualidade de vida, renda, educação, segurança, infraestrutura, limpeza, quantidade de verde, etc... Todos sempre entre as primeiras posições nos ranking mundiais!

O número de atrações de Singapura também é inversamente proporcional às suas dimensões, já que lá há desde gigantescos jardins futuristas até famosos parques de diversões, passando por interessantes museus, templos das mais distintas religiões e arranha-céus com rooftop bars espetaculares. Com tantos (bons) ingredientes, a experiência de visitar o país dá a impressão de que você foi a vários lugares muito distintos entre si, mas quase sem precisar se deslocar - está tudo ali, dentro da mesma ilha! 😀

E pra saber tudo e mais um pouco sobre esse destino tão único, é só conferir a 1ª parte do nosso Guia Completo no QVM, que, além de contar mais sobre a História e as características de Singapura, traz uma série de fotos e informações úteis: quando ir, onde ficar, como se locomover, o que comer, o que comprar, onde sair à noite, curiosidades, avisos/precauções e até para onde mais ir ali por perto! Basta clicar no link:


Pra ficar sabendo da publicação do próximo artigo (além de todas as atualizações do blog), inscreva seu e-mail aqui ao lado (em "Receber Atualizações"), ou siga o Cidadania Mundial no FACEBOOK e no INSTAGRAM!

Ah, e se você ainda não se convenceu sobre Singapura, aí vai mais uma pequena amostra do que eu encontrei por lá! 😃

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

DICAS DE UM "CM" - Volta ao mundo em MÚSICAS de (e para) viagens!


Caros viajantes!

Embora originalmente, a seção DICAS DE UM "CM" tenha sido criada pra trazer orientações e sugestões práticas relativas a viagens (compra de passagenselaboração de roteirosobjetos  e precauções úteiscomo viajar mais), no último artigo desse tipo eu já tinha mudado um pouco o direcionamento... E hoje também será diferente!

Junto com as viagens, a música sempre foi a minha maior paixão. Desde criança eu tenho uma relação muito forte com ela: estou quase sempre ouvindo alguma coisa, aprendi a tocar instrumentos (mas o único que estudei direito e sou bom é a bateria 😁), tive várias bandas e, é claro, sempre estive acompanhado por "trilha sonoras" nas minhas viagens - que acabam marcando muito cada uma delas!

Pensando nisso, eu tinha resolvido elaborar uma playlist com músicas legais que têm relação com viagens, e escrever um pouco sobre cada uma aqui no blog. Fiz uma seleção, eliminei algumas e, quando fui pensar numa sequência, me dei conta duma coisa incrível: pegando as letras dessas canções, daria pra relacionar todas elas e montar uma verdadeira volta ao mundo, com cada parada tendo uma trilha sonora que tem tudo a ver com o lugar ou o momento!! E eu devo dizer: essa ideia acabou resultando em um dos artigos que eu mais curti escrever até hoje, porque além de estar unindo minhas duas grandes paixões, interpretar as letras e bolar uma "história" que fizesse sentido foi muito divertido!! 😃

Embora meu gosto musical não seja 100% eclético, tomei o cuidado de escolher músicas de estilos diferentes e que possam agradar pelo menos à maioria das pessoas. Então, enquanto lê, você pode ouvir cada uma separadamente (todas têm vídeos no Youtube já incorporados no corpo do post), mas se preferir, também pode abrir outra janela e escutar todas na mesma sequência da "viagem": é só clicar aqui pra abrir a playlist inteira!

Dito tudo isso, comecemos então a nossa volta ao mundo em músicas boas de (e para) viagens! 😃



01) Iron Maiden - WASTED YEARS
O guitarrista Adrian Smith estava inspiradíssimo quando compôs esse clássico: além de ter criado um dos solos mais lindos da História do rock, na letra, ele meio que reflete sobre os prós e contras de viajar muito (certamente baseado na sua própria experiência com as gigantescas turnês mundiais da banda, durante a sua juventude), e tem uma conclusão positiva e otimista; falando consigo mesmo, "viajando por todos os lados" e "atravessando os sete mares", ele se sente "estranho" e mudado, e ao pensar sobre seu lar e alguém especial, percebe que só sente falta das coisas quando as perde. Porém, no refrão, ele mesmo se aconselha a não perder tempo pensando em "anos desperdiçados" (Wasted Years) e se dá conta de que, na verdade, ele está vivendo os "anos dourados" com todas essas viagens! E é com esse espírito que partimos do Brasil pra nossa volta ao mundo 😃


quarta-feira, 31 de julho de 2019

DIRETO DA ESTRADA - Nos confins da Terra (NOVA ZELÂNDIA)


Caros viajantes!

Já faz cerca de 1 mês que voltei ao Brasil, depois de uma jornada de 8 meses morando, trabalhando e viajando na Nova Zelândia! Porém, diferente do que eu pensava que seria, estou tendo bem pouco tempo livre por aqui... E por isso que este último artigo "Direto de Estrada" sobre a NZ - o único que escrevi não estando lá - demorou pra sair!
Como eu expliquei anteriormente, sim, haveria muito conteúdo pra mais posts do mesmo tipo sobre o país, mas além de não querer que o blog fique muito repetitivo, futuramente eu vou usar esse material em artigos de outras seções!

Hoje vou falar da última road trip que fiz por lá, por um dos lugares mais distantes e intocados da Terra: a impressionante West Coast, na Ilha Sul! 😃

O azul surreal das Blue Pools, na West Coast 😍
O slogan turístico dessa vasta região é "Untamed Natural Wilderness" (algo como "natureza selvagem indomada"), e ele realmente dá uma boa ideia do que se encontra por lá!

Trata-se da área menos habitada e uma das mais "fora de mão" de um país que já é extremamente isolado do resto do mundo, e que apesar do nome, não tem nada a ver com a "AKL West Coast" - que já foi tema de outro artigo aqui no CM e consiste num pequeno trecho do litoral de Auckland (a maior cidade da NZ), na Ilha Norte.

Viajando pela West Coast, eu cheguei a dirigir cerca de 50km sem cruzar com um único carro (!!), só sendo acompanhado pelas paisagens espetaculares das estradas neozelandesas 😃

quarta-feira, 26 de junho de 2019

DIRETO DA ESTRADA - Um novo ápice (NOVA ZELÂNDIA)


Caros viajantes!

Logo no dia seguinte à minha viagem pra Arthur's Pass (tema do artigo anterior), eu saí novamente de Christchurch, mas dessa vez com todas as minhas coisas! Isso porque eu estava me mudando pra 4ª e última cidade em que moraria na Nova Zelândia: Queenstown. Porém, em vez de ir diretamente pra lá, encaixei 3 dias de viagem pela região do Mount Cook, que é a montanha mais alta do país (3.724m)... E isso acabou rendendo o que foi, talvez, o ápice de toda a minha longa jornada na NZ! 😃

O majestoso Mt. Cook, apelidado de "Matterhorn of the South" (devido à semelhança com a famosa montanha suíça), domina a paisagem num raio de muitas dezenas de km! 😃
Na verdade, considero que na Ilha Sul, não teve pra ninguém mesmo: o Mt. Cook foi realmente o clímax! Mas na Ilha Norte, também teve a Tongariro Alpine Crossing, que foi tão sensacional quanto e acabou ficando com o "pódio" de lá. Então, como passei praticamente o mesmo tempo em cada ilha (4 meses na Norte e 4 na Sul), e já explorei tudo o que eu queria no país, acabei elegendo esses 2 lugares como os mais fantásticos da Nova Zelândia! A diferença é que não houve um "Direto da Estrada" sobre Tongariro, mas há este sobre o Mt. Cook... E eu explico porque:

Desde o começo eu tenho conhecido vários lugares na NZ que não foram nem serão tema de posts "Direto da Estrada", tanto porque eu pretendo encaixá-los em artigos futuros de outras seções (Fora da Rota, Mini Guias, Experiências - como é o caso de Tongariro, etc.), quanto porque como mencionei algumas vezes, eu não tenho tido muito tempo pra escrever "ao vivo" sobre tudo o que tenho vivido. Além disso, não quero que o blog fique muito repetitivo, com "trocentos" posts do mesmo tipo, então, daqui até o final da minha experiência neozelandesa - que acabou de terminar - só haverá mais um Direto da Estrada; depois, "voltaremos com a programação normal"! 😀

O lago de Tasman Glacier e seus icebergs: mais uma das maravilhas da região do Mt. Cook! 😍
Outra observação é em relação ao título deste artigo; não foi só porque o Mt. Cook foi um "segundo ápice" na NZ, mas também porque em 2017 eu publiquei um post com um nome parecido, relatando como tinha sido o clímax de outra longa jornada internacional (a "Euromadness"): DIRETO DA ESTRADA - Chegando ao ápice (SUÍÇA e LIECHTENSTEIN). E, coincidentemente, "aquele ápice" também durou 3 dias e aconteceu em regiões montanhosas, com paisagens espetaculares! 😃

Prossigamos então com mais imagens...

segunda-feira, 20 de maio de 2019

DIRETO DA ESTRADA - Aventuras (e apuros) na neve! (NOVA ZELÂNDIA)


Caros viajantes!

Para o 1º artigo DIRETO DA ESTRADA da Ilha Sul da Nova Zelândia, escolhi um destino que visitei já no fim da minha temporada em Christchurch (a 3ª cidade na qual morei aqui - as outras foram Auckland e Tauranga): Arthur's Pass, onde a beleza e a imensidão da natureza são tamanhas que podem até te "entorpecer" e colocar em perigo! 😮

Foi lá que tive contato direto com a neve pela 1ª vez no país... E lá que vivi "momentos de tensão" que poderiam facilmente entrar pra minha lista de maiores perrengues em viagens - sendo a 2ª vez que isso acontece em montanhas (a 1ª foi em Liechtenstein)! 😬

Na verdade, minha casa em Christchurch, a maior cidade da Ilha Sul e palco de recentes atentados que foram notícia no mundo todo (sim, eu estava lá quando eles ocorreram NO MEU BAIRRO), acabou sendo meio que só um ponto de referência pra mim no norte da ilha, já que a cidade em si não tem graaandes atrações - mas foi de lá que eu parti pra explorar essa região.

Tirei essa foto enquanto dirigia na estrada entre Christchurch e Arthur's Pass... Na Nova Zelândia, o caminho sempre faz parte do espetáculo - quando não é o próprio! 😃
Arthur's Pass fica no centro-norte da Ilha Sul, a pouco mais de 2 horas de carro de Christchurch. Trata-se de um belíssimo Parque Nacional com mais de 1.000km², composto por montanhas, florestas, rios e vales. É uma região consideravelmente isolada, que só tem uma pequena vila (distante muitas dezenas de km do outro povoado mais próximo), e pela qual passa, justamente no "Desfiladeiro de Arthur" (Arthur's Pass), uma das únicas estradas que ligam as costas leste e oeste da Ilha Sul - pra você ter ideia, a próxima ligação fica a mais de 500km de distância, já que o interior da ilha é formado quase que só por enormes montanhas!

Achei que conseguiria não congelar no minuto que fiquei fora do carro sem roupa grossa, mas a foto claramente mostra que não! 😂

sexta-feira, 19 de abril de 2019

DIRETO DA ESTRADA - A pequena capital mais legal do mundo? (NOVA ZELÂNDIA)


Caros viajantes!

O post de hoje será mais "compacto", exatamente como o destino abordado por ele: Wellington, considerada pelo Lonely Planet como "a pequena capital mais legal do mundo"...

... Mas será que isso é verdade?! Vamos descobrir!! 😀

O litoral de Wellington é todo recortado e o seu relevo é bem irregular! O aeroporto, visto aqui do topo do Mt. Victoria, fica entre suas colinas e é muito diferente: há mar nas duas extremidades da pista, e os aviões pousam de um lado e decolam do outro! 😃

quinta-feira, 14 de março de 2019

DIRETO DA ESTRADA - A melhor região da Ilha Norte da NOVA ZELÂNDIA


Caros viajantes!

Continuando de onde parei no último artigo, minha 2ª etapa na Nova Zelândia foi Tauranga, uma cidade não tão longe de Auckland (onde eu havia passado os primeiros 2,5 meses) que é 10 vezes menor, mas que ainda assim, é grande para os padrões locais: trata-se da 5ª maior região metropolitana da NZ.
Fui atraído pra lá por uma série de motivos; muita gente me falou das belas paisagens praianas, do clima bom e das vantagens de morar numa cidade "grande pero no mucho", mas pesquisando mais a fundo, também me dei conta de que Tauranga tem uma localização geográfica estratégica: ela fica numa região chamada Bay of Plenty ("Baía da Abundância"), bem no centro-norte da Ilha Norte da NZ, que faz jus ao nome!
Bay of Plenty não só tem vários pontos que eu queria conhecer, como também fica próxima de outros lugares bem interessantes... Portanto, mudar pra Tauranga me parecia ser uma chance de unir o útil ao agradável - o que se confirmou durante o inesquecível 1,5 mês em que eu morei lá! 😃

A vista de tirar o fôlego (literalmente) do Mount Maunganui, em Tauranga... Não tem um "quê" de Rio de Janeiro?! 😁
Atualmente estou residindo na Ilha Sul, mas sou recém-chegado aqui. Até a semana passada, eu não tinha saído na Ilha Norte - que é menor mas mais populosa - e viajado só por lá, e passados pouco mais de 4 meses, posso afirmar com certeza: Bay of Plenty é a MELHOR região da Ilha Norte da Nova Zelândia, seja pra quem só quer viajar, quanto pra quem pretende morar/estudar/trabalhar nesse país - e neste post, que destaca suas 2 principais cidades (Tauranga e Rotorua), você vai descobrir porquê! 😃

Os lindos Government Gardens, bem no centro de Rotorua (a cidade mais turística de Bay of Plenty), são uma herança dos tempos da colonização britânica

sábado, 16 de fevereiro de 2019

DIRETO DA ESTRADA - A 1ª vez a gente nunca esquece (NOVA ZELÂNDIA)


Caros viajantes!

Já tá virando rotina iniciar os artigos explicando porque o blog não anda tão ativo como era antes, mas paciência! O fato é que eu percebi que, mesmo depois de instalado e adaptado à Nova Zelândia, 2 coisas não mudaram nem deverão mudar até o fim do meu longo período nesse país: uma é o número de horas que eu trabalho aqui (muito superior ao do Brasil), e a outra é que eu estou vivendo como um "nômade" - daqui a pouco já vou mudar pra minha 3ª cidade neozelandesa!
Com isso, no pouco tempo livre que me tem sobrado, eu tenho viajado por esse lugar tão incrível e único... E aí, a disponibilidade pra sentar e escrever todo um post novo é praticamente zero! Mas pelo menos, a quantidade (e qualidade) de material que estou acumulando pra colocar no blog futuramente é "assombrosa", e nosso Instagram e nosso Facebook sempre têm sido atualizados com novas fotos, vídeos e pequenos relatos! 😀

Portanto, se você nos acompanha, não estranhe esse intervalo maior que está havendo entre as postagens: é tudo por uma ótima causa, e mais pra frente as coisas voltarão ao normal - mesmo que demore um pouco! 😉

Dito isso, hoje vou falar da 1ª viagem "pra valer" que fiz dentro da NZ: a espetacular Península de Coromandel! 😃

A linda praia de Hahei, de onde sai a trilha pra mítica Cathedral Cove
"Pra valer" porque embora a West Coast, que foi abordada no artigo anterior, esteja um pouco afastada de Auckland (onde eu estava morando), ainda assim considera-se que ela fica na região metropolitana dessa cidade. Além disso, como eu também já havia contado naquele post, pra explorá-la, eu fiz "bate-voltas" a partir de AKL, indo e voltando no mesmo dia.
Desta vez, no entanto, foi diferente: peguei a estrada mesmo, dormi fora e finalmente, depois de 2 meses morando na NZ, pela 1ª vez eu vi o que os próprios nativos chamam de "real New Zealand": aquelas paisagens de filme (literalmente), com uma natureza exótica e exuberante, pelas quais o país é mundialmente famoso... BEM diferente do que se encontra em Auckland, que segundo as mesmas pessoas - e eu concordo com elas, "is just a big city"!

E não tinha como essa "1ª vez" não ser INESQUECÍVEL...

Aquela caverna ao fundo é a Cathedral Cove, que por ter duas saídas, acaba dividindo a paradisíaca praia de mesmo nome em duas! Tirei essa foto no lado norte, já no fim do dia e portanto sem quase ninguém - a menina de costas tinha viajado comigo

quinta-feira, 17 de janeiro de 2019

DIRETO DA ESTRADA - O surrealismo praiano da AKL West Coast (NOVA ZELÂNDIA)


Caros viajantes!

Até que enfim! Depois de 2,5 meses morando na Nova Zelândia, hoje estou publicando o 1º de vários artigos que ainda escreverei sobre esse país incrível - e de quebra, este também é o 1º post de 2019! 😃

Como eu já havia explicado antes, mudar de país não é fácil; muita coisa precisa ser providenciada, várias delas tomam bastante tempo, ocorrem imprevistos... E dar conta de tudo isso enquanto você já está trabalhando reduz seu tempo livre a quase zero! Assim, naturalmente acabei não conseguindo dar a atenção que gostaria para o blog (só nosso Instagram e nossa página no Facebook que têm sido mais atualizadas), e até o momento, eu tampouco consegui viajar muito por aqui...
Além disso, a verdade é que Auckland - a maior cidade da NZ e onde eu estava morando até muito recentemente (acabei de me mudar pra Tauranga) - é meio sem graça, e ainda possui algumas coisas desagradáveis... Curiosamente, 100% das pessoas que vão morar lá acham o mesmo! Tanto é que, se você buscar no Google, vai achar um monte de artigos do tipo "Auckland sucks", "Auckland is boring", etc...

No entanto, eu não diria que AKL, como é chamada, é uma decepção completa - e MUITO disso se deve graças às praias da sua SURREAL West Coast! 😃

Uma das prainhas PARADISÍACAS "escondidas" ao lado de Piha
Na verdade, trata-se duma área BEM afastada (mais de 40km do centro e impossível de chegar se você não tiver carro), que apenas fica no que é considerada a região metropolitana de Auckland, mas que já é completamente diferente da cidade em si! Até o mar é outro: enquanto as praias da zona urbana de AKL são banhadas pelo Oceano Pacífico, as da West Coast ficam viradas para o Mar da Tasmânia, que é bem mais agitado e por isso atrai muitos surfistas!

Entre o finzinho de 2018 e o comecinho de 2019, explorei 3 pontos diferentes dessa região específica, dedicando 1 dia a cada um deles, e ainda repeti o último num 4º dia, porque eu estava me mudando pra outra parte do país e, antes disso, queria ver de novo aquele foi o lugar mais sensacional que eu conheci em AKL... Mais detalhes adiante! 😁

Vários anos e países depois, "recriei" a foto dos perfis do CM no Instagram e no Facebook, que foi tirada no Big Sur (Califórnia - EUA)... Dessa vez, em Bethells - Nova Zelândia! Achei uma caverna no litoral, posicionei a câmera em cima da mochila, programei o timer dela, saí correndo e fiz a pose! 😂
Como este é um artigo com mais fotos do que o habitual, não vou ficar me prolongando muito no texto; então, aprecie as imagens e descubra mais sobre a "AKL West Coast" conferindo as legendas! 😉