domingo, 22 de julho de 2018

DIRETO DA ESTRADA - Beleza, imponência e fascínio (RÚSSIA)


Caros viajantes!

Eis que após uma "turnê" pelos 3 Países Bálticos e um pedacinho da Escandinávia, com 2 noites em cada uma das 4 capitais visitadas, a "URSS 2018" chegou à sua parte principal: Rússia! 😃

Foram 8 dias no país com o maior território do mundo, e hoje vou falar sobre a 1ª metade deles - que foi passada na sua magnífica ex-capital (São Petersburgo) e seus arredores (Pushkin e Peterhof)!

Catedral do Sangue Derramado: espetacular mesmo em restauração!! 😃
Descrever a Rússia em poucas palavras é algo muito difícil. Ao longo deste e do próximo post, vou tentar usar todos os adjetivos que me vierem à cabeça, mas três das coisas que qualificam bem esse país - e sobretudo à região de São Petersburgo - já estão no título deste primeiro artigo: beleza, imponência e fascínio!

E pelas fotos e suas legendas, você já pode ir entendendo porque...

No Palácio da Czarina, com uma camiseta do Kalashnikov AK47 e aquecido por uma vodka: mais russo, impossível!! 😂
Depois de ter saído por 3 noites seguidas (uma na Estônia e duas na Finlândia) e não ter dormido direito por causa disso, ainda tive que acordar muito cedo num domingo pra pegar o trem pra São Petersburgo... Mas mesmo quebrado, não havia tempo a perder - e o 1º dia na "Mãe Rússia" foi extremamente movimentado!

O 1º ponto turístico que visitei na Rússia - a Catedral de São Isaac - já foi uma amostra perfeita de como as coisas são lá: tudo é imenso, suntuoso e feito pra impressionar!! 😃
Durante a viagem de cerca de 4hs, uma coisa já me chamou a atenção: toda a minha documentação (passaporte, o Fan ID da Copa do Mundo, passagens de entrada e saída da Rússia, etc.) foi checada 4 VEZES dentro do trem, sempre por fiscais diferentes! Me lembrou muito da história que meu pai contava sobre quando entrou na URSS, 40 anos antes, com a única diferença de que atualmente, não são soldados soviéticos armados com fuzis que fazem essas checagens! Mas pelo jeito, a burocracia e a paranoia dos russos com estrangeiros não mudou muito...

Mais uma vez, recriando uma foto do meu saudoso pai: agora 40 anos depois, na Praça do Palácio de São Petersburgo (a principal da cidade e que, como tudo nela, é linda e gigantesca!) 😊
Chegar na Rússia é "chocante", ainda mais pra quem vem da Finlândia (que é um país ocidental, extremamente desenvolvido e onde todo mundo é muito educado e fala inglês). Só pra conseguir sair da estação de trem e comprar rublos (a moeda local) foi um parto, e eu logo vi que iria passar muito perrengue se não comprasse também um chip local... Viajando sozinho, num lugar imenso, com outro alfabeto, onde quase todo mundo é rude e só fala a língua nativa, e a todo tempo querem te sacanear e/ou te tirar uma grana (qualquer semelhança com um certo país que começa com B não é uma mera coincidência), ter internet sempre à mão passa a ser uma questão de sobrevivência!

Catedral de Nossa Sra. de Kazan: "estilo Vaticano"!!
A propósito, na verdade eu iria viajar com um brother do Brasil pela Rússia e pela Ucrânia, que eram justamente os 2 países mais complicados pra se virar com tudo e também os únicos que, em tese, eram menos seguros. Eu costumo viajar sozinho e não tenho nenhum problema com isso (geralmente até prefiro!), mas em destinos muito exóticos é sempre melhor estar acompanhado - não só por segurança, mas porque duas cabeças sempre pensam melhor que uma... Meu amigo iria direto do Brasil pra São Petesburgo, onde nos encontraríamos já no 1º dia, mas na VÉSPERA do embarque, ele cancelou a viagem por causa de um problema profissional!! Com isso, acabei tendo que "encarar" São Petersburgo e a Ucrânia sozinho mesmo (só em Moscou voltei a encontrar amigos), mas no fim, tirando um ou outro pequeno episódio tragicômico (principalmente por causa da dificuldade de comunicação), deu tudo certo! 😃

A Catedral de São Pedro e São Paulo e seu maravilhoso altar, dentro da fortaleza de mesmo nome
O 1º dia foi dedicado, em sua maior parte, às 4 principais igrejas de São Petersburgo: São Isaac, Sangue Derramado, Nossa Sra. de Kazan e São Pedro & São Paulo - todas ortodoxas e já retratadas acima. O plano era passar por mais lugares, mas como sempre, no mapa as distâncias parecem menores do que são na realidade... Então acabou não dando tempo de fazer tudo, mas pelo menos, conseguir distribuir o que faltou pelos outros dias, e enquanto andava pela cidade, já fui me ambientando e passando por outros lugares bem interessantes também!

Por causa de uma confusão com os ingressos e da enorme dificuldade pra conseguir se comunicar (no 1º dia eu ainda estava sem chip de internet), na Catedral de São Isaac eu só visitei a cúpula - que por ser a construção mais alta da parte antiga de São Petersburgo, tem vistas incríveis! 😃
Atravessando o largo Rio Neva, pra ir visitar a Catedral de São Pedro e São Paulo (ali ao fundo)... Pela bandeira, dá pra ver que a cidade já estava devidamente "decorada" pra Copa do Mundo, que começaria naquela semana! 😃
Em cima: uma parte da GIGANTESCA Praça do Palácio, com o Museu Hermitage à esquerda e a Coluna de Alexandre à direita. Embaixo: o Hermitage mais de perto
No 2º dia, passei por mais algumas igrejas de menor porte (mas todas muito bonitas também!) e fui de trem pra Pushkin, um distrito de São Petersburgo a cerca de 45min da cidade. Esse talvez tenha sido o dia mais difícil de todos pra se virar, porque só o incrivelmente profundo metrô local que tinha sinalização em inglês; os trens suburbanos e suas estações, não, e se não fosse o Google Maps e o Google Tradutor, provavelmente eu estaria até hoje tentando chegar na grande atração de Pushkin: o Tsarskoye Selo, ou Palácio da Czarina Catarina (3ª foto do post)! 😅

Andando por São Petersburgo, mesmo os prédios "comuns" chamam a atenção por causa de sua belíssima e colorida arquitetura europeia! 😃
Em cima: o Arco do Triunfo de Narva, que comemora a vitória do Império Russo sobre o exército de Napoleão. Embaixo: uma das várias igrejas "comuns" - e lindas - de São Petersburgo (no caso, a Catedral da Epifania)
Depois de mais um perrengue linguístico, finalmente cheguei em Pushkin! Esse é o Pavilhão Hermitage, que fica dentro do complexo do Palácio de Catarina (já retratado lá em cima). Até quis visitar o palácio por dentro, mas depois de não ter andado nem 10m em 30min numa fila quase quilométrica (e embaixo dum sol fortíssimo), eu desisti!


O 3º dia foi um daqueles HISTÓRICOS, que NUNCA sairão da minha memória, graças ao tanto de coisas absolutamente magníficas e impressionantes que eu vi!! 😃

Comecei visitando novamente a Catedral de São Isaac, mas desta vez, por dentro...

... Que é o maior templo da Igreja Ortodoxa...
... E que mesmo sendo de um outro estilo, em matéria de beleza, suntuosidade e detalhes, não deve NADA para as igrejas católicas mais "top" da Europa!!


O altor principal desta igreja é simplesmente...
... Absurdo!! 😃
Da São Isaac, fui pra outra igreja que no 1º dia eu só tinha visto por fora: a Catedral do Sangue Derramado. E se o seu exterior já é de cair o queixo, o interior não deixa por menos...

... Entrando...
... 😮😮😮!!!
Não sei se eu já tinha visitado uma igreja em que 100% das paredes e do teto são cobertos por pinturas - e todas são obras de arte!!
Oi! 😀
Selfies numa das igrejas mais fantásticas que já conheci na vida (e olha que a lista é longa...)
De lá, peguei um barco pra Peterhof, outro distrito de São Petersburgo que fica a 45min de distância. A parte inicial do caminho é feita pelo Rio Neva, que corta a cidade - o que proporciona belas vistas dela!

Indo de barco pra Peterhof, você passa pelo moderníssimo estádio local da Copa do Mundo, além de ver o Lakhta Center mais de perto, que é um arranha-céu "a la Dubai" bem afastado do centro de São Petersburgo (também dá pra vê-lo em uma das fotos tiradas da cúpula da Catedral de São Isaac, mais acima)!
Em cima: chegando no Palácio dos Czares de Peterhof... Embaixo: as definições de palácios e fontes deslumbrantes foram atualizadas!! 😃



Outros ângulos das fontes douradas de Peterhof
Panorâmica do Palácio de Peterhof. Esse foi outro que eu até tentei visitar por dentro, mas também acabei desistindo... Dessa vez, por causa do preço: você já paga caro pelo barco, mais caro ainda pra entrar na parte externa do palácio, não pode sair de lá pra visitar a cidade porque senão tem que pagar de novo pra entrar, e ainda tem que desembolsar outra pequena fortuna pra conhecer o edifício por dentro! Então, como já visitei vários palácios suntuosos antes e ainda tinha o Hermitage pra conhecer, eu desencanei!
No 4º e último dia, visitei de manhã a última igreja importante que faltava, e reservei a tarde pra um dos maiores museus do mundo: o Hermitage😃

Catedral da Assunção de Maria. Estava tendo um culto na hora em que eu estive lá, então fiquei um tempo assistindo (já tinha feito isso na Lituânia e gostado)... Na Igreja Ortodoxa, ele é praticamente todo cantado de maneira gregoriana e os rituais são bem diferentes dos da Igreja Católica! Muito bonito e interessante 😃
A escadaria principal do Museu Hermitage e um de seus corredores... Eu logo vi que, mais do que o acervo, a atração principal era, na verdade, o próprio palácio em que ele fica instalado!! 😃
Salões inacreditáveis do Hermitage reforçando que não tinha sido um erro eu não conhecer os palácios de Pushkin e de Peterhof por dentro... Afinal, é possível ser mais suntuoso que isso?! 😮
Um "simples" teto aleatório do Hermitage...
Só pra dizer que eu estive sim num museu... Hahaha! O acervo do Hermitage é extremamente variado e amplo (acima está uma parte da coleção egípcia), mas como o horário estava um pouco apertado e eu tive o privilégio de já ter explorado muitos museus no mundo, me "dei ao luxo" de não gastar muito tempo olhando cada relíquia e até pular um ou outro setor com coisas que não interessavam tanto! Como sempre, acabei gostando mais do que era novidade pra mim: no caso, a parte dedicada à Sibéria e aos povos que a habitaram ou habitam - isso eu só vi na Rússia mesmo!
O Hermitage era o Palácio de Inverno dos Czares e dentro dele há até uma igreja ... Que obviamente, não tinha como não ser dourada e magnífica!!
Lembra quando no fim do artigo anterior sobre a URSS 2018 eu disse: "por incrível que pareça, algo ainda mais espetacular me aguardava mais ao leste..."? Então... Agora está explicado o porquê!! 😀

São Petersburgo é, sem dúvida, uma das cidades mais impressionantes do mundo. Como você pôde ver, tudo está num outro patamar de grandeza, imponência e riqueza de detalhes, e o fato de estar associado a uma cultura tão diferente da nossa a torna ainda mais fascinante!

Pra mim, foi o ponto mais alto da viagem, coroando uma "escalada" que já ia vindo muito bem desde o começo! Mas ainda havia mais etapas pela frente e que, à sua maneira, não deixaram a "peteca" cair - sim, ainda tinha MUITA coisa sensacional pra ver, conhecer e viver!! 😃



••• "Partiu Rússia"?! Então agora encontre AQUI a melhor opção para a sua HOSPEDAGEM em São Petersburgo e seus arredores (Pushkin e Peterhof)! •••



Até a próxima viagem! =)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dúvidas, sugestões, críticas, elogios...? Participe comentando aqui! =)