segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

GUIA COMPLETO - Buenos Aires (ARGENTINA), pt. 1


Caros viajantes!

Como eu já tinha adiantado no artigo FORA DA ROTA - #03 - Passeios diferentes em edifícios únicos de Buenos Aires (ARGENTINA)esse sempre foi o destino para o qual as pessoas conhecidas mais me pedem dicas, porque além de ser um lugar muito visitado por brasileiros, eu morei lá por um período e "dissequei" a cidade - o que me levou a escrever um GUIA COMPLETO sobre a capital argentina, dividido por regiões, que eu pretendia publicar aqui no CM! E como já faz algum tempo que não subo um artigo desse tipo... A hora chegou! 😃

Como eu também destaquei naquele post, essa é uma das minhas cidades favoritas no mundo, na qual vivi uma das melhores épocas da minha vida (graças a um intercâmbio universitário que fiz na UBA - Universidad de Buenos Aires). Na verdade, antes de morar lá, eu já havia visitado a cidade algumas vezes porque meus padrinhos são portenhos, então já tinha um grande carinho por BsAs - o que só aumentou quando fiquei por esses meses! Por causa disso, também acabei conhecendo várias coisas que geralmente não estão nos roteiros de viagem comuns, mas que muitas vezes são ainda mais interessantes do que aquilo que é “famoso”!

Mas pode ficar tranquilo: aqui você vai encontrar informações sobre tudo, desde os lugares manjados até os "segredos" escondidos desse destino único, que está no seleto grupo das "megalópoles globais" (cidades que, além de serem enormes, oferecem atrações quase infinitas para seus habitantes e visitantes)! 😃

Como o material é bastante grande, dividi o Guia em 2 partes: hoje vou fazer uma Introdução e falar sobre 2 dos principais bairros portenhos (Palermo e Recoleta), e no próximo artigo vou cobrir outros bairros importantes da cidade e encerrarei com um apanhado de dicas gerais!

Então, vamos lá...


* * *

"Começando pelo começo", vamos falar um pouco de passagens aéreas e hospedagem.

Diversas companhias aéreas voam entre o Brasil e a Argentina, e quase sempre há promoções de voos baratos pra Buenos Aires; portanto, não é difícil encontrar bons preços. A dica mais importante aqui é, na verdade, dar preferência aos que chegam no Aeroparque Jorge Newbery, que está localizado em pleno bairro de Palermo – bem mais próximo de tudo do que o Aeroporto Internacional de Ezeiza, que fica fora da cidade e é onde pousa a maioria dos voos vindos do Brasil e de outros países.

Quanto à hospedagem, certifique-se de que seu hotel fica em uma das regiões da cidade que serão abordadas aqui! Pode ser mais barato ficar fora delas? Pode. Mas tenha em mente que Buenos Aires é uma metrópole, e que fatores como distância e segurança acabam fazendo com que a hospedagem num bairro que geralmente está fora dos roteiros turísticos se torne uma dor de cabeça. Aliás, não é por acaso que eles estão fora da maioria dos guias, não é mesmo?

Dentro das áreas estudadas aqui, há ótimas opções para todos os gostos e bolsos: desde hostels bons, baratos e lotados de gringos atrás de farra (ex.: o Milhouse, que tem duas unidades na cidade), até hotéis “top”, como o moderno Faena e os tradicionais Alvear e Hyatt.

Como de costume, no fim do artigo há mais links para hospedagem.

Feita a introdução, passemos à parte mais interessante: o bairro-a-bairro de Buenos Aires! 😃



PALERMO

Palermo é o maior bairro da capital argentina. Em certos aspectos, lembra um pouco os Jardins, de São Paulo, só que ainda maior e bem mais bonito! Ele está informalmente dividido em várias regiões, com apelidos como Hollywood Viejo (velho), sendo que aquelas que mais valem a pena conhecer são, com certeza, Alto Palermo e Palermo Chico (pequeno).

Lago nos bosques de Palermo
A primeira fica em torno da movimentada Avenida Santa Fé, que tem diversas opções pra compras e alimentação – se quiser agilizar em relação a isso, vá ao shopping que leva o mesmo nome da região. Indo mais adiante nessa avenida, no sentido oeste, chega-se à grande – e maravilhosa – área dos bosques de Palermo, que na prática consiste em um enorme complexo de parques chamado Tres de Febrero. Dois que não podem deixar de ser visitados, por sua beleza, são o bucólico Jardín Japonés e o romântico Rosedal, que como o nome sugere, é um parque dedicado às flores.


Jardín Japonés
Rosedal
Ponte no Parque Rosedal
Se estiver com crianças (ou não…), visite também o divertido Planetario Galileo Galilei e o Zoológico de Buenos Aires, que ficam logo ali ao lado. Esse último tem uma grande variedade de animais e é possível chegar bem perto deles!


Planetario Galileo Galilei
Camelos no Zoo de BsAs
Buenos Aires é conhecida como “a cidade dos monumentos”. E eles realmente estão por toda parte! O mais espetacular deles, o das Quatro Regiões Argentinas (mais conhecido como Monumento de los Españoles), fica bem no coração dessa região e merece ser apreciado com calma.


Detalhe do Monumento das Quatro Regiões Argentinas
Perto dali, está o Centro Cultural Islámico Rey Fahd, que foi construído pela Arábia Saudita e tem a maior mesquita da América Latina. Caso você nunca tenha visitado uma e tenha curiosidade de conhecer mais sobre o islamismo, essa é uma ótima oportunidade - mas informe-se antes sobre os horários e regras de visitação, que são bem restritos!

A mesquita de BsAs no fim do dia
Em Palermo Chico, o negócio também é ir sem pressa. Apesar de estar encravada entre duas belas e importantes avenidas da cidade (Del Libertador e Figueroa Alcorta), essa é uma das áreas mais arborizadas, elegantes e tranquilas da cidade, com muita coisa a ser vista e aproveitada. O melhor jeito de conhecê-la é a pé ou em cima de uma bicicleta, que pode ser alugada nas redondezas.

Iniciado o passeio, chega a ser estranho pensar que você está na América do Sul; praticamente todas as construções de Palermo Chico têm arquitetura parisiense e são mansões e palacetes centenários, que hoje abrigam embaixadas de diversos países. Esses imóveis pertenciam a poderosas famílias da Argentina, que há um século viveu seu apogeu econômico e chegou a ser um dos países ricos do mundo. Os tempos gloriosos se foram, mas felizmente uma parte importante de seu legado resistiu - e o melhor jeito de se constatar isso é visitando o Museo de Arte Decorativo, que fica instalado na antiga e suntuosa mansão da tradicional família Alvear (confira mais detalhes sobre ele no artigo sobre passeios diferentes um edifícios únicos de BsAs)!

Parece uma mansão num condomínio de luxo, mas é uma das várias embaixadas espalhadas pelas "chiques" ruas de Palermo Chico! 😲
Bem perto dali, fica o moderno Museo de Arte Latinoamericano, mais conhecido como MALBA. Eu não diria que está entre os museus “indispensáveis” de Buenos Aires, mas pra quem gosta de arte (principalmente a moderna), vale a visita. Curiosidade: um dos quadros mais famosos do Brasil, o "Abaporu", de Tarsila do Amaral, foi comprado há alguns anos por um milionário argentino e está exposto lá!

O MALBA por dentro
Ao lado do MALBA passa uma das ruas mais bonitas da cidade: San Martin de Tours, que junto com a perpendicular Juez Tedin e a paralela Ortiz de Ocampo (talvez a mais linda de todas), forma um dos pedacinhos mais agradáveis da cidade pra um passeio matinal.

Palermo também é o bairro do agito de Buenos Aires: é lá que fica a grande maioria das melhores baladas da cidade - e indiscutivelmente, a capital argentina tem uma das melhores vidas noturnas do mundo! Uma excelente opção é o Terrazas del Este, um clube enorme, com vários ambientes, muito bem decorado e localizado às margens do Rio de la Plata, na parte norte do bairro (conhecida como Punta Carrasco). Bem perto dali ficava a filial argentina da famosa Pacha (que infelizmente fechou há pouco tempo), e um pouco mais "pra dentro” do bairro, a badalada Crobar é outra ótima alternativa!


A mega balada Terrazas del Este
Seguindo mais para o interior do bairro, encontramos Palermo Hollywood, uma área que já abrigou os galpões de diversas produtoras cinematográficas. Algumas ainda estão lá, junto com ateliês e galerias de arte. E na mesma área, fica mais um “Palermo”: o Soho, que é predominantemente ocupado por bares e mais casas noturnas que costumam bombar, como a Kika. A maior concentração do agito fica em torno da Plaza Serrano.



RECOLETA

Esse tradicional bairro não é muito grande e tem uma localização privilegiada, vizinha a Palermo e próxima de vários outros pontos de interesse de Buenos Aires. Mas é claro que isso não é tudo, pois Recoleta também tem “brilho” próprio! Trata-se de outro bairro elegante da capital argentina, mas com menos casas e mais prédios que Palermo. É interessante notar que mesmo os edifícios mais modernos dessa região têm um certo padrão: nenhum é muito alto, todos são um pouco parecidos arquitetonicamente (mas não são iguais) e geralmente, também há algum tipo de comércio no nível da rua. Mas nada disso os torna menos bonitos!

O coração de Recoleta, sem dúvida, é a Plaza Francia, pois a grande maioria das atrações do bairro estão localizados nela ou bem perto dela. Essa bonita praça fica lotada de gente aos sábados e domingos (principalmente por causa da feira de quinquilharias), portanto é melhor visitá-la durante a semana. Ali está o impressionante Cementerio de Recoleta, onde estão sepultadas grandes figuras da história argentina (sim, a Evita também…); alguns mausoléus são realmente megalomaníacos, do tamanho de pequenos templos!

Igreja de Pilar, no coração de Recoleta
Se ambientes sepulcrais não são muito a sua praia, visite então a bonita Igreja de Pilar, ali ao lado, e depois passe “un rato” (uns instantes) agradáveis, sentado em um bar, sob a sombra da gigantesca árvore que fica bem de frente para a igreja. Sem sair da praça, visite o BsAs Design, um shopping pequeno, mas bem atraente e moderno. E continuando pra parte de baixo da plaza, atravesse a Avenida Del Libertador pra visitar o museu mais espetacular de Buenos Aires: o de Belas Artes, que é mais um legado das décadas de ouro vividas pela Argentina há cerca de um século. O prédio do museu, na verdade, é mais novo, mas o seu acervo decorre, em grande parte, de doações das famílias aristocratas da época. Certamente, o Bellas Artes é o museu latino com maior número de obras de artistas consagrados (de diversas épocas), e realmente não deve nada à maioria dos museus de New York e da Europa! Tem de tudo um pouco: Picasso, Rembrandt, Chagall, Monet, El Greco, Kandinsky, Goya, Rafael, Van Gogh, Miró, Rodin, Polanski…

BsAs Design, na parte de baixo da Plaza Francia
Atrás do museu, do outro lado da Avenida Figueroa Alcorta, fica um imponente prédio em estilo grego, que abriga a Facultad de Derecho de la UBA, com seu belo hall de entrada. Ao lado da faculdade, está uma atração mais recente da cidade, mas que você certamente já viu em alguma imagem: a Floralis Generica, uma estrutura gigante em metal que abre e fecha. Um daqueles típicos lugares em que vale tirar uma foto para poder falar “eu fui”! 😃

A imensa Faculdade de Direito da UBA (onde eu estudei!), vista do terraço do Museo de Bellas Artes
Eu moleque, cabeludo e impressionado no hall da minha então nova faculdade 😂
Floralis Generica
Voltando à Plaza Francia, caminhe, desde o começo, pela 1ª rua paralela à Avenida Del Libertador: a linda Calle Posadas, que fica ainda mais bonita com as folhas amarelas, durante o outono. Pare no El Sanjuanino, a melhor casa de empanadas de Buenos Aires, e depois siga pela rua até o requintado Shopping Patio Bullrich. Após fazer compras (ou não), volte para a rua e suba a primeira à direita, na Calle Libertad; ande 1 quadra, passando pelos fundos da imponente Embaixada do Brasil, e vire à direita novamente, seguindo pela Avenida Alvear – provavelmente a mais elegante de Buenos Aires – até o fim, de volta à Plaza Francia; de lá, desça pela Calle Junín até a Avenida Las Heras, que é uma das mais bonitas da cidade...

A linda Calle Posadas no outono...
... E a linda Avenida Las Heras no verão!
... Vire à direita e ande 2 quadras pra se impressionar com o edifício da Facultad de Ingeniería de la UBA, que originalmente deveria ser uma catedral gótica, mas que nunca foi terminado por falta de recursos; volte pela mesma avenida até outra importante via de Buenos Aires: a Avenida Callao; mais 4 quadras na direção oposta à do tráfego e vire à direita, na Avenida Santa Fé; logo na 1ª quadra, você terá que gastar alguns minutos (ou horas…) no ícone das livrarias portenhas: El Ateneo. O lugar antes abrigava um teatro, que foi restaurado e adaptado de modo a modificá-lo o mínimo possível - o palco, por exemplo, ainda está lá, mas hoje comporta um agradável café!

Faculdade de Engenharia da UBA
Foto: https://turismo.buenosaires.gob.ar/en/atractivo/el-ateneo-grand-splendid
... E não pára por aí! Como já adiantei, Buenos Aires ainda tem muito mais, então inscreva-se aqui ao lado (em "Receber Atualizações") ou siga o CM nas redes sociais (links no cabeçalho da página), para ser avisado quando a 2ª e última parte do Guia for publicada!



••• E agora que você já conhece bem os 2 principais bairros de Buenos Aires, encontre AQUI as melhores opções de HOSPEDAGEM em Palermo Recoleta! •••



Até a próxima viagem! =)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dúvidas, sugestões, críticas, elogios...? Participe comentando aqui! =)